MONTADORAS E STARTUPS CORREM CONTRA O TEMPO NO MERCADO DE CARROS AUTO-DIRIGíVEIS

06/05/2016

 

 

O carro autônomo está bem perto de se tornar realidade e parte de sua tecnologia já pode ser conferida mesmo aqui no Brasil, onde veículos como Jaguar XF e Ford Ranger, compartilham parte da experiência que os condutores poderão ter a partir de 2020.

A data será um marco na história do automóvel, já que é a partir daí que os carros passarão a rodar sem a assistência do motorista. Várias empresas do setor automobilistico e de rastreador veicular estão correndo contra o tempo para colocar suas tecnologias em nível de produção. 

A GM, por exemplo, quer adquirir a startup Cruise Automation por US$ 1 bilhão. O motivo é que a empresa desenvolve software para integração de diversos sistemas automáticos do veículo, provendo assim a base para a condução autônoma. Se acontecer, será a maior aquisição do setor de automação veicular.

A Google X também trabalha para que sua condução autônoma esteja operacional em 2020, atendendo principalmente os carros sem direção que estão sendo testados. Este serão compartilhados e não necessitarão de volante e pedais de freio, embora tais itens possam ser obrigados por lei. 

Startups como Drive.ai, Nauto e Zoox, por exemplo, já estariam em estágio avançado de desenvolvimento de tecnologia de condução autônoma, mas em áreas diferentes. A Drive.ai quer criar inteligência artificial para os veículos, enquanto a Nauto foca em recursos de rede e segurança automotiva. 

 

Já a nuTonomy quer ensinar os carros autônomos a planejar sua condução, enquanto a reclusa Zoox já estaria no nível de automação 4, onde os carros autônomos andam sozinhos em qualquer condição. No entanto, a empresa diz que não está aberta a conversas de aquisição e que suja tecnologia é mais avançada que a Cruise Automation.

Até o momento, essas pequenas empresas captaram poucos milhões de dólares, valores bem módicos em relação ao valor que algumas podem alcançar. A Crise Automation, por exemplo, tem apenas 40 funcionários e nenhum produto final apresentado. 

Há seis meses, foi avaliada em US$ 90 milhões para conseguir US$ 20 milhões no desenvolvimento de uma tecnologia que permitisse aos donos de carros da Audi ter condução autônoma. Agora, a GM quer pagar US$ 1 bilhão para ter a pequena companhia. Isso mostra o potencial dessas startups no setor automotivo. A complexa análise dos sensores de bordo é um conhecimento que poucos têm, já que na área de automação existem poucos pesquisadores. 

[Fonte: WSJ]

Com informações de: http://e-cota.com

 

Posts relacionados

 

Sobre o autor

 

DANIEL

Jornalista e empresário