67% DE JOVENS ENTRE 14 E 25 ANOS DESEJAM TER SEU PRóPRIO NEGóCIO

20/04/2016

O jovem brasileiro sonha em empreender, mas não se sente estimulado a ter seu próprio negócio. É o que revela a pesquisa realizada pelo Instituto Sou Mais Jovem, entidade que coordena ações de incentivo e apoio ao empreendedorismo jovem.

De acordo com o estudo, 67% de jovens entre 14 e 25 anos desejam ter seu próprio negócio, mas 82% reclamam da falta de estímulo e informações para realizar esse desejo. Mais da metade entrevistados, 73%, afirma que gostaria de ter aulas sobre empreendedorismo e gestão de negócios nas escolas. Hoje eles dizem buscar informações sobre esses temas principalmente na Internet (82%), veículos especializados (39%) e com pais e conhecidos (27%). A dificuldade financeira para abrir a empresa, citada por 63%, é a principal preocupação dos jovens no que se refere ao empreendedorismo. Apenas 27% se declararam receosos de não estarem aptos a desenvolver essa tarefa. Já 23% afirma temer os entraves burocráticos e econômicos do Brasil.

Demonstrando terem consciência das dificuldades da vida de empreendedor, 52% acreditam que terão que fazer sacrifícios para realização desse sonho, mas 71% acredita que valerá a pena e está disposto a iniciar algum tipo de projeto nos próximos anos. Para Guto Melo, presidente do Instituto Sou Mais Jovem, esses dados revelam que o jovem brasileiro mudando seu comportamento. “Até pouco tempo atrás, o jovem desejava ter liberdade e muito dinheiro, e acabava associando esse sentimento a ser dono do seu negócio. Hoje, com o acesso mais fácil à informação a maioria já demonstra ter mais consciência da árdua tarefa de empreender. Vermais..

 

 

Posts relacionados

 

Sobre o autor

 

WELLINGTON KNAUF

Empreendedor, Empreteco, Formado em Processos Gerenciais, Técnico em Contabilidade e Acadêmico de Direito, Com mais de 14 anos de experiência no ramo contábil, tive a oportunidade de acompanhar o crescimento, desenvolvimento e diversas mudança que teve na área contábil nos últimos tempos no Brasil. Tive o prazer e breve passagem pela área de Telecomunicações, trabalhando com vendas ativas de produtos como fixo, móvel, banda larga e TV por assinatura, elaboração e execução dos planos estratégico